“Conhece-te a ti mesmo”, um provérbio que deve ser aplicado àqueles que tentam ultrapassar o que são.

“Uma jornada em busca do autoconhecimento fará a diferença entre tomar a decisão certa ou errada para sua empresa, vida pessoal ou profissional.”

Foi lendo essa frase em um site que descobri que o autoconhecimento não se resume a pré conceitos que eu tinha, como pessoas iluminadas que praticam yoga, meditação ou sempre vão a retiros espirituais…

Na verdade, através do auto conhecimento, aprendemos a ser cuidadosos, a ouvir nossos instintos, a descobrir nossa sabedoria e a ter autoconfiança.

E o alerta soou alto quando descobri que se eu, como empreendedora quiser ser cada vez melhor, devo investir no auto conhecimento, gerenciando bem a minha vida, tarefas do dia a dia e empresa.

Um empreendedor de verdade, conhece suas limitações, habilidades, pontos fortes e frágeis. Portanto, quando nos permitimos exercer o autoconhecimento, conseguimos tomar decisões de forma confortável, usando nosso raciocínio e analisando nossas emoções.

Ok, mas como chegar a ter ou desenvolver o autoconhecimento? Devemo-nos fazer algumas perguntas:

O que eu tenho de melhor? O que me faz feliz? Estou investindo em meus talentos e trabalhando em meus pontos fracos? Estou no caminho que escolhi estar, ou deixei as situações definirem esse trajeto? Aonde quero chegar?

É fácil? Evidentemente que não, é necessário humildade, maturidade, disciplina e coragem. Mas a busca por ser um bom líder e responsável por outras pessoas, exige essa consciência de que as pessoas são diferentes, tem necessidades diferentes, e por isso devemos nos conhecer para conhecer o outro e ser assertivo nas decisões.

Portanto, seja você um empreendedor que tem consciência de si, e por isso faz uma boa gestão pessoal, para aí sim, ter consciência do outro e realizar a gestão de relações e dos seus negócios.

Sócrates disse “Conhece-te a ti mesmo”. Que tenhamos a reflexão necessária sobre as nossas ações, para adquirirmos a sabedoria para modificá-las.