As salas de reunião, fundamentais para as empresas, tendem a ser palco de diversas atividades. Por isso, é importante que, além de bem decoradas, sejam confortáveis e funcionais para que possam ser bem aproveitadas.

O arquiteto Ricardo Nunes, sócio do escritório Casa3 Arquitetura conta que, atualmente, as salas de reunião são encaradas como ambientes multiuso. “Ter uma sala apenas para realizar reuniões nem sempre é uma realidade em função das novas demandas do mercado. Por isso, este ambiente pode servir não só para este tipo de atividade como também para a realização de brainstorms, treinamentos, videoconferências, recepção de clientes, etc”.

Segundo o arquiteto, isso ocorre não só porque os espaços estão cada vez mais caros e disputados, mas também porque ter uma sala exclusivamente para a realização de reuniões pode fazer com que o ambiente seja pouco aproveitado. “O ideal é sempre aproveitar o melhor possível a metragem disponível para se obter o máximo dela e, quando possível e desejável, subdividi-la com divisórias retráteis”.

Ricardo conta que, para criar uma sala de reuniões adequada, primeiro é preciso realizar um projeto de arquitetura corporativa específico para o ambiente. “Assim é possível determinar a otimização do uso do espaço, as prioridades do cliente e decidir quais os melhores móveis, qual a melhor iluminação, como distribuir os pontos de elétrica, rede, multimídia, etc”.

Ele lembra que, como cada empresa tem suas próprias necessidades, não basta colocar uma mesa grande rodeada por cadeiras no ambiente. “Cada empresa é única e precisa de um projeto personalizado para que a sala de reuniões se torne um ambiente funcional, confortável e agradável para as pessoas que o utilizam”.

O arquiteto lembra ainda que salas de reunião em algumas empresas não costumam despertar um grande interesse em seus gestores. “Em alguns casos, vale a pena investir em elementos decorativos para deixar o ambiente mais descontraído e adaptável para os diferentes públicos. A utilização de cores e objetos decorativos é algo que não é muito caro e pode fazer uma enorme diferença”.

Ricardo finaliza comentando que a adequação do ambiente para receber equipamentos eletrônicos não é mais um luxo, mas uma necessidade. “É preciso oferecer a todos que irão usar o espaço a infraestrutura adequada para que possam utilizar a sala de reuniões em sua plenitude, sem ter de passar por nenhuma limitação, como não ter como usar o notebook ou projetar um conteúdo nas telas por falta de pontos de conectividade, ou rede wireless, por exemplo”.

Fonte: Projeto da Casa3 Arquitetura.